O que é isso? Meu filho deu para se esconder atrás de mim!

O que é isso? Meu filho deu para se esconder atrás de mim!

O que é isso? Meu filho deu para se esconder atrás de mim!

Por Dra. Regiane Glashan 05/08/2016 - 08:26 hs

Dra. Regiane Glashan*

Qual pai ou mãe nunca passou por esse tipo de experiência um dia na vida, de seu filho se esconder por de trás? É só chegar perto um adulto fazendo graça ou dizendo que ele é lindo ou uma gracinha, que o pequeno logo vai se esconder atrás dos pais, e se estiver em casa, vai para outro cômodo e fica espiando de “rabo de olho”.
O que é isso?
Meu filho tá ficando esquisito?
É a famosa timidez!
As crianças são muito curiosas, aventureiras e desbravadoras dos sete mares. Por outro lado, existem algumas crianças que são mais contidas e reservadas em sua curiosidade. É o “jeitão” de cada uma! Ser tímido não é uma patologia.
O caso se transforma num problema quando a criança se torna inibida ao exagero, a ponto de evitar o contato com as pessoas fora de seu círculo de confiança, impedindo de fazer e ter amigos, de participar de eventos sociais, de expressar toda sua vivacidade e potencialidade.
Como os pais podem ajudar seu filho numa situação básica de timidez?
Os pais precisam entender seu filho e não cobrar atitudes que ele ainda é imaturo para expressar. Antes de tudo, precisam conhecer o que se espera em cada etapa de desenvolvimento de seu pequeno. Por exemplo, uma criancinha de dois anos que não quer ir a uma festa de casamento não deve ser forçada. Obrigá-la pode agravar a situação e transformar a festa em um caos. Lembrem-se, as criancinhas superam sua timidez, a partir do momento, que adquirem confiança em si mesmas e no ambiente.
Aceitar a timidez do filho, é uma maneira de entender o temperamento particular do pequeno, e fazê-lo entender, que cada um tem sua maneira de ser e de fazer parte do mundo. Por outro lado, elogiar a criança quando ela falar com um coleguinha, uma amiga dos pais, ou o caixa de supermercado é uma forma de fazer reforço positivo e de prestigiar a iniciativa da criança.
Como já mencionei algumas vezes, ser o exemplo pode ajudar muito. Deixe seu filho observar sua conversa com outras pessoas, brinque de teatrinho com ele. Ora ele é um personagem ora ele é outro. Uma hora ele é um bichinho muito falante, em outro momento ele é um personagem quieto e que gostaria de ser um cantor e cantar para uma plateia de bichos curiosos da floresta. Ser lúdico pode fazer milagres!
O importante nessa história toda é evitar fazer censuras e comparações com amiguinhos, primos ou irmãos. Nunca humilhe ou castigue seu filho por ele não se “comportar” frente aos outros como você gostaria. Isso vai gerar muito mal-estar, medo e receio por parte da criança.
Evite os rótulos! Não nomeie seu filho para as outras pessoas como ele sendo assim mesmo - tímido, quieto, retraído. Tal atitude pode se tornar uma profecia e os recursos internos de seu filho podem minar nesse contexto.
Já conheci muitas crianças tímidas que superaram a timidez e se transformaram em atores, gerentes de empresas, professores e etc.

* Terapeuta Familiar - Casal - Individual, ênfase na relação mãe-bebê. Especialista-Mestre-Doutora-Pós-Doutora pela UNIFESP, Fellow Universidade Pittsburgh - USA. Site: www.terapeutadebebes.com.br