Esteatose hepática e alimentação

Esteatose hepática e alimentação

Por Dra. Elaine C. Bueno 02/09/2016 - 08:18 hs

Elaine Cristina Bueno*

A esteatose hepática é um desarranjo metabólico que pode comprometer seu fígado.

A esteatose nada mais é do que o fígado gorduroso. É um problema que vem aumentando sua incidência nas últimas décadas e tem uma enorme ligação com a obesidade.

A esteatose hepática gordurosa não alcoólica é uma das mais frequentes doenças do fígado, e normalmente surge em conjunto com outros problemas, como por exemplo, obesidade, diabetes e aumento do colesterol ou triglicérides.

No Brasil, esse problema já atinge cerca de 20% da população podendo ser dividida em doença gordurosa alcoólica do fígado (quando há abuso de bebida alcoólica) ou doença gordurosa não alcoólica do fígado (quando não existe história de ingestão de álcool significativa).

Se não for identificado e devidamente tratado o problema pode levar a um quadro ainda mais grave, da cirrose hepática.

Por isso, devemos sempre procurar um médico e fazer exames de abdome total, principalmente em pacientes com esse quadro de síndrome metabólica, inclusive em crianças, que infelizmente está se tornando muito comum devido à má-alimentação.

A dieta hipercalórica ultrapassa a capacidade do fígado de oxidar e transportar gorduras causando o acúmulo.

A nutrição é de extrema importância nesse tratamento. Deve ser feita uma mudança no hábito alimentar e fazer uma estratégia nutricional a fim de adequar quanto ao desequilíbrio na ingestão de gordura saturada, além de que os carboidratos devem ser diminuídos. Deve haver um cuidado especial com as frutas, pois a frutose nesse caso será um veneno. A frutose não deixa de ser o açúcar presente nas frutas.

Outro ponto importante é cuidar do intestino que é nosso grande órgão de absorção. O tratamento deve ser feito por um plano alimentar individualizado utilizando um protocolo de destoxificação do fígado tratando assim o estresse oxidativo e a inflamação.

Abaixo estão alguns alimentos benéficos para o tratamento nutricional da esteatose hepática:

- Açafrão

- Orégano

- Boldo

- Dente leão

- Alcachofra

- Coentro

- Quercetina (presente na maçã, brócolis, cebola)

- Silimarina

- Ac. alfa lipóico

Por isso, mude seus hábitos, tenha uma alimentação equilibrada e procure um nutricionista para adequar as suas necessidades e poder usufruir dos benefícios de cada alimento importante nesse tratamento.

* A autora é nutricionista pela Faculdade de Ciências e Letras de Bragança Paulista - FESB CRN 3 41336/P - avaliação e diagnóstico nutricional, atendimento clínico, domiciliar e reeducação alimentar. Atendimento na Clínica Transformare - Rua São Vicente de Paula, nº 137 - Centro - Atibaia, fone (11) 98453-8311 ou 4412-6405 (particular). Atendimento na Clinica Fisioneuro - Rua Pompeu Vairo, nº 57 - Vila helena - Atibaia - Telefones 4412-2805 ou 4412-2723 (convênios Funcesp, Cabesp, Caixa Econômica, Medsanitas).