Estou grávida ou estamos grávidos?

Estou grávida ou estamos grávidos?

Estou grávida ou estamos grávidos?

Por Dra. Regiane Glashan 09/09/2016 - 10:23 hs

Dra. Regiane Glashan*

É uma verdadeira dádiva a gestação durar quase 270 dias.

Esse período proporciona a mulher e ao seu parceiro um tempo para lidarem com a ideia de que um bebê está chegando, e, que ele é um ser único e “induplicável” que está por vir.

Cada gestação é diferente da outra, pois, em cada uma delas, a mulher está em um período diferente de sua vida e dará um significado peculiar a este momento.

Tome por exemplo uma primigesta, que engravida aos quarenta anos, após tentativas frustradas, ou, por escolhas de vida de postergar a gestação. Bem, ela poderá ter muitas alegrias e ao mesmo tempo alguns temores. A mesma coisa pode-se dizer sobre uma mulher, que deseja ter uma produção independente, provavelmente, suas experiências serão diferentes daquela que possui um companheiro.

O que importa é que os estados físico e mental sempre se combinam para dar forma e colorido a cada experiência gestacional.

A gravidez é uma fase que contempla muitas alegrias e ao mesmo tempo dúvidas, ansiedades e angústias.

Perguntas são comuns nessa fase: será que agora é o momento certo para a gravidez? Será que seremos bons pais? Será que não vou perder boas oportunidades profissionais? Será que terei bastante leite para nutrir meu bebê? Será que ele será bonzinho e logo dormirá a noite toda? Será que logo voltarei a minha boa forma física? Será que meu marido continuará me amando da mesma maneira?

É muito raro encontrar uma mãe, ou, um casal, que não tenha dúvidas durante o período gestacional, afinal ninguém nasce casal e ninguém nasce pai.

É um período onde ideias, conscientes e inconscientes, sobre os cuidados maternos e paternos afloram na mente de quem está esperando o bebê, e, que disparam dúvidas sobre a capacidade de realizar a imensa tarefa de ser mãe e pai.

De um modo geral, esperar um bebê significa esperança e otimismo.

A gestação permite a mãe, aos poucos, se acostumar com a ideia de que terá um bebê e o bebê estará se preparando, gradualmente, para se adaptar a vida do lado de fora, a vida aérea e cheia de gravidade (digo força da gravidade).

O futuro papai também estará ganhando um tempo para “desenhar” seu filho na mente e poder experienciar projetos para o futuro.

No final da gestação, o bebê e a futura mamãe vão se dando conta de que algo está por acontecer, e, cada detalhe irá influenciar no estado mental e emocional da díade. O nascimento será coroado com um gostoso brinde a vida!

* Terapeuta Familiar - Casal - Individual, ênfase na relação mãe-bebê. Especialista-Mestre-Doutora-Pós-Doutora pela UNIFESP, Fellow Universidade Pittsburgh - USA. Site: www.terapeutadebebes.com.br