TRAÇANDO CAMINHOS

TRAÇANDO CAMINHOS

TRAÇANDO CAMINHOS

Por Renato Negrão 03/10/2016 - 20:06 hs

Durante a vida recebemos boas lições. Para falar a verdade, cada dia é uma nova lição se soubermos traduzir o que muitas coisas representam realmente, mas nossas preocupações, e por vezes nosso egoísmo, a autopiedade, nos impedem de percebermos o quanto estamos aprendendo e nos tornando pessoas melhores.

Entre todas elas, qual seria a maior lição?

Com certeza a maior lição que vida nos dá é a importância do que pensamos. Se eu soubesse o que você pensa, saberia o que você é. São os nossos pensamentos que nos fazem ser aquilo que somos. Não são nossos pais, nossos problemas, nossas vitórias, mas aquilo que pensamos.

A nossa atitude mental é o maior fator que determina nosso destino. Como disse Emerson: “Um homem é o que ele pensa o dia todo”, e não há como ser diferente. Na jornada da vida o maior e mais desafiador dos problemas que todos temos que enfrentar é o da escolha dos pensamentos acertados. Esse é o verdadeiro desafio e a maior solução para todos os problemas, por isso é este também o maior dos aprendizados.

Se conseguirmos escolher nossos pensamentos mais acertados, estaremos no caminho que nos levará à solução de todos os nossos problemas.

Se tivermos pensamentos felizes, seremos felizes. Se pensarmos em coisas que nos causam medo, seremos medrosos; se gastarmos uma pequena parte do dia pensando nas coisas que não gostamos nas pessoas, nos tornaremos rancorosos; se pensarmos em doença, provavelmente ficaremos doentes.

Como podemos perceber, não somos simplesmente sugestionados pelos próprios pensamentos, mas somos o resultado direto deles.

Você já conversou com uma pessoa autopiedosa, aquela que se acha uma vítima? Quanto tempo você consegue conversar com uma pessoa assim? No final das contas você vai perceber que ela é realmente vítima, dela mesma.

Uma frase interessante disse Norman Vincente Peale: “Você não é o que você pensa que é; mas o que você pensa você é”.

Numa de suas experiências um psiquiatra inglês pedia a três homens para que se submetessem a um teste para verificar o efeito da sugestão mental em sua força física, que era controlada por um dinamômetro. Pedia a cada um deles que apertasse o dinamômetro com toda força que fosse capaz. Para incrementar um pouco o teste, eles deveriam fazer isso sob três condições diferentes. O teste sob condições normais apresentou um resultado de 101 libras de pressão manual. Depois de serem hipnotizados, e dizer-lhes que eram criaturas muito fracas, com os braços finos como de uma criança, conseguiram apenas 29 libras, menos que um terço da força manual anterior. Na terceira vez, quando disse aos homens, sob hipnose, que eram pessoas muito fortes, eles conseguiram apertar até 142 libras. O que ele percebeu é que enquanto os homens tinham as mentes cheias de pensamentos positivos sobre seu vigor físico, podiam aumentar em quase cinquenta por cento a sua verdadeira força muscular.

Existe outro exercício que você mesmo pode fazer em sua casa para comprovar o efeito produtivo dos pensamentos positivos: fique em pé, com os dois pés juntos e estenda os dois braços estirados á frente na linha do horizonte. Mantendo apenas um dos braços nessa mesma posição, gire o outro na linha do horizonte até o ponto máximo que conseguir para trás de você, e depois volte ao ponto inicial. Feito isso, feche os olhos e repita o movimento, só que dessa vez imaginando-se chegar num ponto bem mais distante, por cerca de três vezes. Então, abra os olhos e repita o exercício, e não se espante com o que vai conseguir.

Com a aplicação adequada de uma frase na sua vida é possível solucionar os problemas e determinar o seu destino: “Nossa vida é o que os nossos pensamentos determinam”.

Um forte abraço, e até a próxima semana.

 

 

* O autor é: advogado, practitioner em PNL, palestrante, consultor de Desenvolvimento Pessoal. Contatos: rncursino@hotmail.com / (11) 99880-0305.