Nosso anjo foi pro céu

Nosso anjo foi pro céu

Nosso anjo foi pro céu

Por Edgard de Oliveira Barros 21/10/2016 - 13:03 hs
Nosso anjo foi pro céu
Dona Lourdes Scapin

Poucos Santos viram, mas Deus passou por Atibaia entre terça e quarta-feira. Veio buscar seu anjo favorito, Dona Lourdes Scapin, anjo maior da cidade.

Atibaia inteira conhecia Dona Lourdes. Doce, bondosa, fiel, de família das mais tradicionais da cidade. Há muitos anos ela desempenhava uma missão sublime: era a “encomendadora” das almas de Atibaia, missão que lhe foi atribuída pelo pároco da Igreja Matriz de São João Batista. Ela é Ministra da Igreja Católica, com certidão e tudo.

Dona Lourdes participava do maior número possível de exéquias na cidade. Exéquias são ritos e orações com os quais a comunidade cristã acompanha seus mortos e os encomenda a Deus. A bem dizer, e em outras palavras, Dona Lourdes falava com Deus. É pouco?

 

...Dona Lourdes falava com Deus...”

 

Dizem alguns que entre terça e quarta-feira desta semana, um exército de anjos passou pela cidade e foi até a casa de Dona Lourdes participando das suas exéquias. Afinal, um anjo que tanto rezou por tanta gente que hoje está no céu graças a tantas rezas, não poderia ficar sem o acompanhamento de anjos na maior das horas, a hora do encontro com Deus.

Era anjo pra tudo quanto é lado amparando Dona Lourdes, rezando e cantando felizes, afinal estavam diante de um anjo maior. Um anjo que ouviu e amparou tanta gente, centenas, para não se dizer milhares na hora da morte. Amparou e rezou para que Deus as recebesse.

A fé de Dona Lourdes era comovente. E o seu trabalho de visitar os mais enfermos, aqueles que já estavam mais próximos do fim era invejável. Não importava a hora, não importava o lugar, era chamar que Dona Lourdes ia ouvir, rezar, encaminhar almas para o céu. Essa missão ela cumpria com todo amor. Fora suas preces, fora suas rezas, fora seu carinho, fora seus olhares, fora o conforto que sempre ofereceu a parentes, amigos, pessoas que conhecia ou até desconhecia.

 

...essa missão ela cumpria com amor...”

 

Anjo não tem que se apresentar, anjo tem mais é que participar, consolar, ajudar, rezar, orar, pedir a Deus. Dona Lourdes era anjo.

E seu lugar estava sempre guardado em cada missa, em cada reza, em cada batizado, em cada cerimônia, em cada procissão da Igreja Matriz de São João Batista. Era sempre a primeira a chegar, a primeira a orar, a primeira a cantar, a primeira a abraçar o abraço sincero que só anjo sabe dar.

Eu sou até meio suspeito para falar isso ou aquilo de Dona Lourdes. Sei que ela me adorava. Foi ela quem disse isso. Que eu fazia bem para as pessoas. Dona Lourdes era uma exagerada...

Na verdade curti algumas das melhores horas da minha vida no dia em que tive a honra de entrevistar Dona Lourdes em sua casa. Fora uma vez ou outra que tive o prazer de ser convidado para comer pedaços de bolo com café que ela fazia. Íamos eu e a Ana Maria, minha mulher, que conseguiu, num momento feliz, fazer a melhor das fotos de Dona Lourdes. A foto que ilustrou a entrevista. Pois Dona Lourdes pediu e recebeu a foto ampliada e ela transformou em um quadro. Vaidosa (anjo também tem suas vaidades, como não?) Dona Lourdes fazia questão de mostrar para todos. Dona Lourdes sempre saiu linda na foto.

 

...já viram um anjo sorrindo?...”

 

Confesso que uma vez ou duas fui à missa do fim de domingo só para ver Dona Lourdes sentada em seu banco favorito na Igreja Matriz. Quando ela me via sorria. Já viram um anjo sorrindo? E sorrindo pra você? Eu vi.

Pois é, Deus passou por Atibaia e levou Dona Lourdes. Talvez o melhor dos anjos que a cidade já teve. E Deus também.

Até cheguei a pensar em ir à missa do final da tarde no domingo, na Igreja Matriz de São João Batista. Acho que não vou não. Meu coração não vai aguentar olhar para o lugarzinho sempre guardado para Dona Lourdes. Eu sei que o anjo Dona Lourdes vai estar lá sim, mas eu sou um pobre pecador e pecadores não conseguem ver anjos assim tão de perto. Especialmente depois que eles foram chamados por Deus.