Área onde era o Lar Dona Mariquinha do Amaral foi cedida à Prefeitura de Atibaia

Após tratativas consensuais com a entidade, Executivo iniciará processo de revitalização do local, que poderá receber uma estação cultural

Por Maria Clara 11/03/2018 - 10:29 hs

Na manhã desta segunda-feira (5) a Prefeitura da Estância de Atibaia tomou posse da área onde funcionava o Lar Dona Mariquinha do Amaral, na esquina da Av. São João com a Av. Jerônimo de Camargo. O local - dotado de dois prédios tombados, que serviram como estação dos trens da antiga Rede Ferroviária Federal e depois da Fepasa - pertence ao Governo do Estado de São Paulo e foi cedido para uso da Prefeitura, que manifestou o interesse de ter a posse da área com o objetivo de revitalizar o local, preservar o patrimônio histórico e ainda disponibilizar alguns equipamentos públicos com serviços à população. 

Entre as propostas está a criação de um museu para documentar e resgatar a história da antiga linha férrea e sua relação com o crescimento da cidade e o surgimento da Av. Jerônimo de Camargo. Os prédios deverão ser restaurados e poderão abrigar equipamentos da Secretaria de Cultura e Eventos, como a sede da Fanfarra Municipal de Atibaia - FAMA. 

O prefeito Saulo Pedroso de Souza esteve no local acompanhando o processo de posse e destacou o desejo da Administração Municipal para a área. “Agora, com a posse de todo esse terreno, a ideia é fazer um investimento, seja com recursos do DADE [Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos], do Governo do Estado ou até mesmo do caixa próprio da Prefeitura, para então promovermos a revitalização desse espaço”, explicou. 

Segundo o prefeito, além de uma estação cultural, a Prefeitura estuda a possibilidade de implantar, no local, a Secretaria de Cultura, inclusive com espaço para a realização de eventos, e a sede da Fanfarra Municipal. “Alguns setores desocupariam imóveis que hoje são utilizados mediante locação, o que geraria economia aos cofres públicos”, ressaltou. “Isso tudo demanda tempo, investimento e planejamento. Acabamos de tomar posse e ainda vamos contratar uma empresa para elaborar o projeto de revitalização e pleitear recursos para a sua implantação, mas a expectativa é de que essas mudanças tragam uma série de melhorias para o município”, disse o chefe do Executivo durante a visita. 

Conforme lembrou o prefeito, o andamento de todo esse processo contou com tratativas junto à entidade e os trâmites aconteceram de forma consensual. “Tudo foi conversado com a entidade que utilizava esse espaço, o Lar Dona Mariquinha do Amaral. Há algum tempo a entidade não vinha trabalhando com o atendimento de crianças em situação de vulnerabilidade social, e nos últimos chamamentos públicos promovidos pela Prefeitura ela acabou não conquistando o direito aos recursos. Então o Poder Judiciário solicitou que os atendidos fossem transferidos para a entidade habilitada via chamamento e, com isso, o espaço acabou ficando ocioso”, esclareceu. 

Um trecho do terreno próximo à esquina da Av. São João com a Av. Jerônimo de Camargo também deverá ser utilizado para as obras de duplicação da Jerônimo. “Hoje demos um passo inicial e fundamental para o processo de recuperação desse espaço e, consequentemente, de toda essa região. Trata-se de uma iniciativa que, nos próximos anos, será responsável por entregar à cidade um equipamento cultural importante para a população. Inclusive poderá ser um espaço de visitação, com potencial para o setor de turismo”, salientou. 

Vale lembrar que a Prefeitura ainda não está tomando posse de 100% da área, tendo em vista que o espaço utilizado pela antiga entidade mantenedora do Lar Dona Mariquinha do Amaral para a realização de seu tradicional bazar, continuará. Este tem a finalidade de levantar recursos para sanar pendências trabalhistas ainda existentes da entidade e continuará destinado para essa atividade.