Quarta, 29 Jun 2022

Os impactos da vulnerabilidade social na aprendizagem

Cristiane Fernandes Esteves Saraguci*

A questão da vulnerabilidade social ainda é pouco discutida dentro da Pedagogia. Passamos anos na universidade aprendendo sobre a história, a filosofia e a psicologia da educação, aprendemos muito sobre a didática e as metodologias de ensino, além muitas outras temáticas importantes para a construção do conhecimento. Porém, quando o assunto é vulnerabilidade social, assunto tão evidente em nosso país, existe pouca discussão sobre o assunto. É como se todos nós estivéssemos acostumados com o problema, dá a impressão que não nos incomoda mais! Triste não é mesmo?

Ao adentrar nas escolas públicas de todo o país nos deparamos com a realidade, boa parte das crianças com dificuldade de aprendizagem vivem em situação de vulnerabilidade social.

Por que isso acontece?

Porque a aprendizagem envolve o desenvolvimento de diversas capacidades, potencialidades, tanto físicas, quanto mentais e afetivas, ela não é apenas um ato de memorização ou que depende apenas de um conjunto de funções mentais, ou até mesmo de elementos físicos e emocionais, na verdade, todos esses processos são importantes. Não existe aprendizagem significativa sem todos esses elementos.

Como o assunto é pouco discutido, infelizmente, o corpo docente não sabe lidar com essa questão e que lamentavelmente, em muitos casos, o conceito dos professores é de que esses alunos são desinteressados, e pior ainda, que não têm capacidade de aprender. Sendo assim, mesmo que não percebam, tipificam os alunos pela classe social a qual pertencem.

A aprendizagem deve levar em conta a realidade do aluno, sendo o professor a peça fundamental neste processo, desenvolvendo um olhar sensível para estimular os alunos e trazer reflexões sobre a realidade e a possibilidade de mudança.

Estamos vivendo um momento importante de mudança em nossa sociedade, onde a inclusão social é um dos temas mais relevantes atualmente. Temos trabalhado como sociedade para um mundo melhor, onde todos os indivíduos sejam valorizados e tenham acesso a educação de qualidade. Sendo assim não podemos esquecer de olhar para essa problemática enfrentada todos os dias em sala de aula. É hora de refletirmos juntos sobre o assunto e buscarmos soluções para amenizar a dor dessas crianças e adolescentes que acabam tendo experiências negativas na escola e criam essas barreiras em sua aprendizagem, dificultando assim seu pleno desenvolvimento.

Se queremos um país melhor, precisamos olhar com mais carinho para a educação. A educação tem o poder de transformar realidades. Acredito que é através dela que veremos verdadeiras mudanças em nossa sociedade.

* A autora é Neuropsicopedagoga e Psicopedagoga Clínica e Institucional, Pedagoga especialista em Administração Escolar, Coach Pessoal, Profissional e Líder Coach pela Sociedade Brasileira de Coaching e Analista Comportamental Disc pela Gestor Performance. Possui experiência de mais de 20 anos na área, atuando no âmbito escolar e clínico, como também no mundo business como Coach, palestrante e desenvolvendo pessoas. Contatos: E-mail: crissaraguci@hotmail.com; Instagram: @neuropsicocristianesaraguci; Facebook: @conexãodoaprender e Blog: https://conexaodoaprender.home.blog/

Veja mais notícias sobre Cristiane Saraguci.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 29 Junho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.atibaiahoje.com.br/